Sunday, October 17, 2010

Super Cozinheira

Eu não achava que me daria bem cozinhando, mesmo porque nunca tive paciência pra ficar na frente do fogão por muito tempo.

Tudo começou quando eu estava com uma vontade insana de comer bolo de cenoura e - pasmem - estavam esgotados nas padarias aqui perto. Comprei os ingredientes e fiz, mesmo cética quanto ao sabor. Quando ficou pronto, para minha surpresa, tinha ficado ótimo!

Arrisquei fazer um mousse de chocolate. Fantástico.

Resolvi fazer pratos salgados. Primeiro uma torta light de camarão. A necessidade de cozinhar coisas salgadas aumentou a medida que fui aprendendo a substituir ingredientes refinados pelos integrais. Aqui em casa ninguém come nada integral, a menos que tenha sido pré-aprovado por mais alguém além de mim.

Aí aprendi a fazer um assado de soja com palmito. Que delícia! Soja virou ingrediente essencial para algumas tortas.

Arroz integral, feijão azuki, refogados de abobrinha...

Descobri como fazer doces com suspiros, como macaróns e o bolo concord.

Aí há 15 dias tive uma revelação: eu nunca tinha comido maçã verde. A vida inteira me falaram que era azeda, que eu não ia gostar... resolvi provar. Virou meu tipo de maçã favorito.

Aí ontem no mercado vi um pacotinho de mexilhão limpo e congelado. Novamente lembrei que era mais uma das coisas que nunca tinha provado. A cara de nojo que minha mãe fez quando coloquei no carrinho me lembrou do motivo de nunca ter comido.

Aí hoje fiz um teste. 3 receitas com os bichinhos, em quantidades pequenas de degustação. A primeira, um risoto com pimenta, a segunda, outro risoto, mas com coentro e limão e a terceira um molho vongole para colocar no macarrão. Sim, adorei os 3.

Ao verem as comidas diferentes torcem o nariz e saem de perto fazendo barulho de quem está a ponto de vomitar, mas quer saber? Ninguém aqui sequer arrisca provar algo novo. Uma pena porque não vão saber que virei uma ótima cozinheira.

O segredo da cozinha agora é... música clássica e paciência.


Tuesday, October 12, 2010

Descontrole

Momento terapia: estou tendo momentos (até dias inteiros) de descontrole ultimamente. Coisa que há anos não fazia: me empanturrar de doces e salgados até passar mal, passar dias inteiros chorando a toa, explodir com tudo e com todos e estar tão ansiosa que até espinhas voltei a ter! É como se estivesse numa TPM constante. As pessoas estão me incomodando.

Na faculdade eu tenho a impressão que os assuntos são tão fúteis e triviais que prefiro ficar quieta do que me forçar a comentar alguma coisa só por comentar. Nenhum assunto lá parece fazer parte da minha realidade e quando a aula começa - que ódio quando os professores atrasam e tenho que ouvir os colegas - ninguém cala a boca. Tenho a impressão que ninguém se interessa ou se esforça!

No trabalho eu consigo manter o humor estável, não sei se é mais um dos meus truques de esquecer completamente tudo a minha volta e me manter concentrada, com os pensamentos voltados para os projetos que estou desenvolvendo eu literalmente me esqueço e funciono de forma - prazeirosamente - mecânica.

Na academia é a mesma história; mantendo o corpo em constante movimento e sendo - pasme - sociável, eu consigo deixar a irritação constante de lado por algumas horas.

Basta acabar a rotina trabalho-academia-faculdade para sobrar alguns fatídicos minutos pra ouvir as infinitas lamentações de casa. Não, eu não quero saber sobre os problemas de dinheiro dos meus pais, finalmente EU to ganhando meu próprio dinheiro e estou pagando as minhas coisas. Estava orgulhosa em relação a isso, até queria compartilhar, mas ao invés de ouvir incentivos, só escuto 'essa vida é uma merda, eu tinha tudo e perdi e bla bla bla'

O único lugar que estou dividindo tudo é na psicóloga. Semanalmente eu estou me forçando a pensar sobre essas coisas, mas o processo é lento. Minha ansiedade (justamente o que deveria estar tratando) para achar uma solução rápida está me frustrando.

All right, paciência (coisa que não tenho). O jeito é continuar tentando e resistir a essas maluquices. TPM o mês inteiro não dá.