Saturday, January 15, 2011

Projeto Nova Luz

Saiu novamente mais uma repecursão do projeto Nova Luz da prefeitura de São Paulo. Os comerciantes da Santa Ifigênia fecharam suas lojas ontem e foram protestar em frente a Fatec, onde foi aberto uma audiência pública. Baderna faz parte de todos os projetos de revitalização, mas eu ainda fico revoltada ao ver a bagunça e perceber que estão prostestando algo que pode facilmente ser discutido e implantando no projeto sem maiores problemas.

O medo dos comerciantes é ficarem desempregados. Durante as obras e durante as desapropriações realmente não tem muitas alternativas a não ser sair do local onde estão atualmente. Por outro lado, nada impede de concentrar o comercio em alguns edificios tombados da região. A Santa Ifigênia é um local onde as pessoas vão pesquisar e procurar os vendedores por mais escondidos que estejam.

O problema da região é grave, é um ponto turistico importante e da maneira como está não pode ficar. Será uma grande perda para a cidade se o projeto urbanistico for vetado por conta de situações que podem ser contornadas e adaptadas temporariamente. Sim, sabemos que o termo 'temporário' da prefeitura demora bastante, chega a dar a impressão de se tornar permanente, mas se não houver um diálogo, se nenhuma das partes der o braço a torcer, nenhum projeto sairá do papel.

Não é fácil, principalmente quando o sustento de várias familias está em jogo, mas a situação é muito parecida com a situação do hospital onde trabalho. Precisavamos refazer o pronto socorro infantil, deixar de atender as crianças por dois meses ou mais seria impossível, portanto a idéia foi reloca-lo em um dos ambulatórios próximos. Deixamos ambulâncias disponiveis 24h para emergências, as enfermeiras tiveram que se adaptar a nova rotina, precisamos adaptar uma sala para raio-x portátil e gastamos uma grana enorme adaptando uma sala de inalação. A pior parte ficou com a equipe de segurança e secretaria que tá tendo que ouvir reclamações dos pais inconformados com a situação provisória, mas a escolha era simples: deixar um pronto socorro degradado ou aguentar dois meses de reclamações?

Assim que a região da Luz for revitalizada também ocorre o medo de se tornar área nobre, dos comerciantes não poderem voltar ou mesmo não terem condições de pagar os novos preços dos aluguéis. Não seria aí uma questão de fazer um contrato com a prefeitura? Alternativas sempre existem, é só querer.



Matérias da Folha de S.P:

18/12

15/1

No comments: