Monday, March 07, 2011

Maratona de Filmes

Aproveitei o sábado e o domingo para fazer uma coisa que sentia muita saudade: assistir filmes. Eu estava um pouco atrasada nos lançamentos, até nos blockbusters, que dificilmente perco. Eu também me comprometi em assistir alguns mais velhos e acabei baixando da internet. Ficaram estocados no meu HD, ocupando espaço e nunca que tinha tempo pra ver e deletar.
 
O jeito foi esperar o fim de semana. Já que eu não emendei o feriado, tive que otimizar o tempo pra ver quantos filmes fossem possivel. Consegui ver apenas quatro, mas já tinha assistido alguns para o Oscar e esqueci de comentar. Para não encher muito, vou resumir os filmes em alguns comentários simples que ficaram na minha cabeça logo depois de ter assistido.
 
Primeiro foi True Grit: Eu me divirto com Jeff Bridges, mas confesso que tô cheia de ver Josh Brolin nos filmes dos Cohen. Até parece que só existe ele!
 
The Social Network: Adorei do começo ao fim, apesar de me incomodar muito ver aqueles "adultos" com cara de adolescentes, se comportando como se já soubessem tudo sobre o mercado finaceiro. Não estou dizendo que não é verossímil, mas nossa, qual era o passatempo deles quando criança?
 
127 Hours: Mais do que o roteiro, a trilha sonora me fez pirar. E a cinematografia, aqueles tons marrons com azul, sinceramente me inspirou a desenvolver meu projeto de arquitetura da faculdade desse semestre.
 
The Kids Are All Right: Eu odeio Mark Ruffalo. Passei o filme todo querendo dar ecstasy pra ele, pra ver se muda a mesma atuação de sempre.
 
Inception: Direção de arte maravilhosa e meu Leo diCaprio pronto para um abraço.
 
Black Swan: Um pouco mais perturbador do que esperava. Natalie Portman magérrima fazendo nós gordinhas morrer de inveja.
 
The Town: Bem melhor do que eu esperava por ser um filme com o Ben Affleck. Preciso me policiar quando meu preconceito com a atuação dele aparecer. Pode ser um péssimo ator, mas escreve bem.
 
Alice in Wonderland: Tinha assistido há meses e ainda acho que aquela menina atua tanto quanto um pote de margarina em comercial de café da manhã. Eu adoro Johnny Depp, mas até ele me entristeceu.
 
The King's Speech: É impressão minha ou o cinema britanico tá massacrando o americano? Consegui entrar por completo no filme, esqueci que tava vendo numa tela, meu único arrependimento foi não ter tido paciência pra esperar estrear no cinema.
 
Tangled: Adoro as infinitas gags repetidas da Disney, adoro o charme do 3D, adoro heroína poderosa e herói atrapalhado. Voltei a ter 6 anos de idade.
 
Ironman 2: Robert Downey Jr. me diverte, por mais que ele faça sempre o mesmo personagem.
 
Salt: Assisti só pra ver Angelina Jolie batendo na homarada e pra me inspirar a fazer uma dieta.
 
Agora, os que eu assisti esse domingo:
 
The Fighter: Onde já vi esse filme antes? Ah sim, em todos os filmes de boxe. E Amy Adams é a eterna Encantada.
 
Winter's Bone: Falar o inglês do interior dos Estados Unidos é absurdamente complicado. Me senti pesada como fiquei quando assisti O Retorno. A cena das mãos e da serra elétrica!
 
The Runaways: Dakota Fanning sempre terá 7 anos pra mim e me diverti com as músicas, porque não vejo nada impressionante em meninas se passando por drogadas e bêbadas, essa é a atuação mais balela que tem. Joan Jett rocks e ponto.
 
The Tourist: Previsível do começo ao fim... mas tem Johnny Depp!
 
E o velhinho que prometi que ia assistir: Silkwood: Meryl Streep sempre foi fantástica, Cher não pode negar que fez plástica no nariz e Kurt Russel was so freak'in hot!
 
Na verdade resolvi assistir Silkwood porque vi uma entrevista da Cher falando sobre o relacionamento dela com a Christina Aguilera em Burlesque. Aliás, eu comentei que adoro purpurina?
 
 

No comments: