Thursday, March 24, 2011

Tenho Algo a Dizer

 

Só preciso descobrir o que é. Eu estava numa sessão de terapia ontem quando percebi o quanto busco técnicas pra me comunicar. Sei falar em inglês, italiano, francês. Sei técnicas de redação para escrever qualquer matéria de jornalismo. Sei fazer roteiro, sei fazer filmes! Estou aprendendo a me comunicar com formas na arquitetura. Acho que meu discurso é coerente e consigo defender as idéias de um projeto. Sei desenhar, fazer história em quadrinho, sei fazer arte final... e ainda queria aprender aquarela, pintura a óleo, cello, violino, alemão...

 

A questão é que nada disso me satisfaz. Eu estou colecionando maneiras de dizer, sendo que não tenho um tema, não tenho um conteúdo o qual eu possa passar com essas inúmeras técnicas. E sim, eu fico presa as regras. Se eu aprendi que tenho que projetar algo que seja coerente com o bairro eu não vou arriscar sair daquela delimitação. Por que eu tenho que aprender a técnica da aquarela e não saio simplesmente arriscando e borrando tudo? Só de pensar em treinar sem um direcionamento já me aflige.

 

É normal alguém está me desafiando e eu dizer "Claro que seu fazer, me dê um assunto que faço." Por que o assunto não parte de mim? Tem alguma coisa pulsando aqui, tem alguma coisa borbulhando pra ser expressada, tem alguma coisa arriscando todas as técnicas ao alcance pra ser ouvida.

 

Mas que diabos é isso? Eu gostaria de encontrar meu próprio estilo. De criar minha própria técnica. Acho que preciso me soltar um pouco mais. Preciso me permitir a liberdade de criar meu jeito de comunicação.

 

Acabei lembrando daquele caso do pianista David Tudor que sentou para tocar a música com o nome 4'33″ e  exatamente 4'33″ levantou-se, agradeceu a audiência e foi embora, sem tocar uma única nota.  O compositor é John Cage e é claro que essa  performance de silencio foi um jeito de dizer algo, mas não estou me comparando ao músico, mas sim a plateia. Estou ansiosa pra ouvir o que pode sair desse piano e não tenho nada além do silêncio.

 

Posso estar esperando demais, como sempre. Só gostaria de saber o que eu preciso falar com tanta urgência que não toma forma nenhuma.  Eu não queria passar anos e anos buscando um estilo pra depois descobrir que não tenho o que fazer com ele.

No comments: