Monday, May 16, 2011

Grace Kelly

Sábado fui à exposição da Grace Kelly na FAAP. Descobri uma coisa absurda: a mina nasceu rica e bonita, depois se transformou em atriz, ganhou um Oscar e virou princesa? Pô, ela quis realizar todos os sonhos de todas as mulheres de uma vez!

Bom, mas começando uma descrição básica: a exposição é para engrandecer quem já é grande. Começa com a infância, com várias fotos e relíquias da família (ela já tinha uma casa básica com piscina), depois ela trabalhou como modelo e foi pra Hollywood. Aí está a parte que mais gostei, claro. Uma instalação muito legal com uma réplica da casa de Janela Indiscreta, com a cadeira de rodas de James Stewart, câmeras antigas e uma série de cartas trocadas entre Hitchcock e a Grace.

Saindo da casinha, uma série de pôsteres dos filmes que ela fez. Cenas dos filmes em looping na parede. Alguns vestidos usados em algumas cenas. Depois, entramos por uma porta com uma placa de Hollywood e o tapete vermelho dando as boas vindas. Mais uma série de objetos e fotos, cartas de Hitchcock, postais de Clark Gable e... o Oscar. Com o discurso em lopping em outra parede. Nunca vou chegar tão perto de um Oscar novamente. Estava dentro de um vidro, mas deu pra ficar há uns 30cm de distância. Como é lindo é brilhante.

Depois segue-se para outra sala com fotos de Mônaco e da família real. É interessante que eles se deram ao trabalho de trazer quadros de lá para entendermos um pouco a linhagem da família. Depois, vemos a filmagem do encontro de Grace com o príncipe, e a partir daí esquecemos que ela foi atriz. Vestidos do encontro, da viagem dos EUA à Europa, do casamento civil. Como se fosse dentro de uma das lojas mais incríveis de Paris, o vestido de noiva ilumina toda a sala e é onde reúne a maior parte dos curiosos. Muitos espelhos para não perdermos nem uma prega. É o vestido mais bonito da coleção.

Da próxima sala, pequena, vemos apenas uma série de amigos da família, convidados do casamento e alguns convites e enfeitinhos. A próxima sala é linda: uma verdadeira passarela de vestidos que ela usou em seus inúmeros eventos e bailes. Uma coleção gigantesca de Christian Dior, Yves Saint Laurent, Jean Paul Gaultier e... o vestido da coroação. Eu poderia jurar que na foto era mais bonito.

Passamos para a vida de casada, os filhos, a coleção de bolsas (wow!) mais vestidos, inclusive uma das peças da coleção Mondrian de Yves Saint Laurent de 1965. Fiquei decepcionada quando vi de perto. Imaginei que o tecido era diferente e não aquela linha grosseira. Me encantei com um casaco. As jóias, coroas, diamantes... bem, nem vou mencionar. Eu saí de lá vendo estrelas e cifrões.

Com os filhos, temos mais roupas, peças de bebê, fotos, roupinhas que combinam. O top da frescura que traumatizaria qualquer criança hoje em dia.

Uma recriação de uma sala de jantar e inúmeras capas de revistas. Não vemos a velhice de Grace. Ela morre em 1982 em um  acidente de carro (supostamente causado por sua filha Stephanie), não chega a completar 60 anos e mesmo ao auge dos 50 ela era linda e glamorosa. Em sua boda de prata em 1981 ela estava tão elegante que parece que dormia em formol.

Fiquei duas horas lá dentro e o tempo voou. Nem percebi. Talvez não seja o ideal para alguém que esteja buscando mais informações ou um estudo cinematográfico mais profundo. É uma exposição que resume o glamour da vida da moça. Seu objetivo é simplesmente fazer pessoas normais entrarem lá e odiarem a vida que levam.
As fotos são da exposição e estão na exposição :D
 

No comments: