Monday, August 15, 2011

Para Respirar Novos Ares


Preciso aprender a me valorizar e isso não é uma coisa que só eu acho, mas que todos vivem me dizendo. Às vezes encano com uma espinha na testa que está escondida debaixo da franja. Não vejo 1,58m, e me concentro em 2 mm de espinha, acreditando que aquela bolinha vermelha está me fazendo ser um verdadeiro monstro.
Existem algumas situações onde tenho que fazer apresentações e preciso fazer uma composição com as cores do logo da empresa. Por mais que pegue a cor com o conta-gotas no Photoshop, eu ainda fico me remoendo, acreditando que a cor não está correta e que no meio da apresentação, com os engravatados, alguém vai parar e apontar meu erro.
Eu faço tudo tão certinho, tão perfeito...
E só eu não sei saborear o momento quando sou reconhecida. Em alguns momentos isso é até visto de maneira negativa. Aconteceu de entrar para trabalhar em um lugar com uma função, uma semana depois fui promovida de estagiaria a assistente e 11 meses depois continuei como assistente, mas dominava um setor sozinha e logo me apareceram outras obrigações que não estava no escopo da minha função.
Aos poucos perceberam que eu era capaz de fazer muitas coisas, afinal tenho uma formação multidisciplinar. Fiz de tudo, desde planilhas, a plantas, a apresentações, a trabalho de secretária, a ilustrações. E aí que caiu a ficha: se eu cobrasse a parte pelas plantas e pelas ilustrações eu estaria ganhando muito mais...
Fiz uma pesquisa de salários. Na Catho, meu cargo está anunciado algumas vezes e com um salário duas vezes maior, em alguns casos. O que diabos estou fazendo aqui?
Bom, eu gosto do local geralmente quando os colegas de trabalho ajudam isso não é um problema aqui. O salário pesa bastante, mas quando estou ganhando experiência eu consigo relevar esse fator, mas assim que tiram o aprendizado de mim... quando me pediram para me concentrar na administração e não na criação... é quando percebi que meus dias estão contados.
E a ficha caiu: não estou mais satisfeita com a minha situação. Eu gosto de criar e eu gosto de dinheiro. Eu estou perdendo muito mais em matéria de estresse e ócio do que ganhando em salário.
É verdade que ganhei muita coisa: um ano de experiência, obras significativas no currículo; ganhei agilidade no AutoCAD; paguei meu curso de francês e ainda consegui fazer uma viagem internacional.
E é assim que estou descobrindo o que realmente importa pra mim: não é o trabalho nem a rotina, mas o que estou aprendendo e ganhando com ele. Agora que parei de aprender e ganhar com ele, está na hora de ser um pouco mais ambiciosa.
Eu estou em uma área onde o mercado está aquecido, eu sou mão de obra qualificada e tenho experiência.
O que estou fazendo aqui?
Bom, tomei minha decisão. Preciso respirar novos ares e voltar a aprender em outro lugar. Realmente, estagnar não é muito a minha cara.
Então, reconheci que eu mereço algo melhor, mais respeito, mais remuneração, mais aprendizado. Demorei, mas entendi.

1 comment:

Louco said...

É o que costumam dizer; o que importa não é onde se chega, mas a jornada.

Bravo! Finalmente prestou atenção - e isso deve durar alguns dias, pelo menos, antes da próxima mudança de Miki Metamorfose Ambulante ^^ - ao fato de que todos acham que vc é ótima como está, menos vc mesma.

Vai pras cabeças, monstrinho. E me diz depois do que achou do novo lugar em que chegou.

Bjon do otouto (e não, ainda nem comecei a responder. Estou às voltas com meu livro, ainda, mesmo já tendo publicado)